Blogue Blue

Blogue Blue

sábado, 21 de janeiro de 2012

Carta Membro da Diretoria do Colégio Santa Rosa de Lima

Reunião na Escola
Data: 24/01/2011  Hora: 19h     
Local: Colégio Santa Rosa de Lima 



Prezados

Segue noticia abaixo produzida pelo Sul 21.

Solicito ajuda para divulgação para as pessoas conheçam as atitudes de quem comanda a Prefeitura de Porto Alegre..

Refere-se ao Colégio Sta Rosa de Lima - um colégio (fundação) privado/comunitário que os pais administraram nos últimos 28 anos e que no ano passado (2011) não teve pernas para dar continuidade e fechou.

Então desde dezembro de 2010 temos uma direção "liquidante" que junto com o MP busca a solução para pagar as dívidas com os professores e funcionários e para que o espaço continue destinado a educação, bem como dar um destino adequado a todo o acervo da escola.

Em fevereiro de 2011 formalizamos à UFRGS a proposta para que esta "comprasse" o prédio. Vários ex-pais se envolveram na solução. Do Raul Pont que articulou reunião com o ministro-adjunto da educação José Henrique Paim ao Adão Villaverde em contato com a UFRGS e BSB.

Com o interesse fomalizado, pois o prédio é lindeiro à UFRGS - campus saúde - a Universidade iniciou os  trâmites - dificeis e longos - para viabilizar o procedimento de aquisição e pagamento de valores num processo comandado pelo MP Estadual (setor das Fundações).

No mês de junho a Prefeitura de Poa ficou sabendo da situação do prédio e manifestou interesse.

Acompanhamos a UFRGS na sua peregrinação em resolver a situação até 16 de dezembro quando esta conseguiu empenhar os recursos e depositar os valores dia 20 de dezembro. Registres-se que em outubro de 2010 o MP autorizou e a UFRGS colocou vigilância 24h para zelar a Escola uma vez que até então este serviço vinha sendo realizado por zelosos ex-funcionários com a contribuição (R$) voluntária de ex-pais.

Concretizado o depósito de valores pela UFRGS o MP comunicou ao Juiz que cuida da liquidação da Fundação.
Imaginávamos ter chegado ao fim a incerteza para pagarmos os professores e funcionários e os demais credores.

ENGANO NOSSO, pois desconhecíamos este tipo de jogo que a Prefeitura de Porto Alegre faz. Depois que a UFRGS depositou os valores (20 de dezembro) a Prefeitura publicou um decreto (26 de dezembro) desapropriando o prédio. E com isto o que era solução virou pesadelo.
As perguntas que não podemos deixar de fazer: Por que a Prefeitura, se tinha interesse real no prédio, não desapropriou o prédio em junho de 2011- há seis meses atrás? Por que esperou que a UFRGS depositasse os valores e daí embananar a solução que a Fundação e o MP construiram para saldar os credores, em especial os traballhadores que estão desde dezembro de 2010 sem receber? É assim que age quem comanda esta cidade?
DIVULGUE.
Alvaro Pedrotti
Membro da diretoria liquidante do Sta Rosa.

1 comentário:

Prof. PADilla disse...

Lamentavelmente, o episódio envolve o fechamento de uma escola que proporcionava qualidade de ensino. Porque há interesses: A baixa cultura implica em baixa renda, sabias?

Isso permite a transferência internacional de recursos,

Veja: http://padilla-luiz.blogspot.com.br/2012/10/politicos-querem-acabar-com-autonomia.html